Menu

ARTIGOS E INFORMAÇÕES SOBRE O MUNDO ONLINE

Polícia dá dicas de segurança para driblar golpistas da internet

Cada vez mais freqüentes, as fraudes via internet deram origem a mais de 300 queixas somente no Rio, de janeiro a agosto. Segundo a Federação Brasileira de Bancos, esses golpes desviam a cada ano cerca de R$ 300 milhões.

Para evitar ser vítima dos golpistas, é importante seguir as dicas da Polícia Civil do Rio, que dão mais segurança ao computador e também à navegação na web.

- Mantenha sempre o antivírus atualizado.
- Verifique se o endereço da página é compatível com o site exibido.
- Mude regularmente as senhas.
- Depois de visitar sites, saia da página e certifique-se que a senha não está em uso.
- Em operações financeiras, evite computadores de LAN house.
- Em sites de relacionamento, não adicione pessoas desconhecidas.

Para a polícia, não faz diferença se a pessoa invade o computador por brincadeira de mau gosto ou para roubar informações. Embora ainda não haja uma legislação específica para esse tipo de crime, com equipamentos modernos as autoridades têm cada vez mais chances de identificar os culpados.

Segundo a polícia, os crimes de internet são mais comuns do que se imagina. Os golpistas são tão ousados que criam até páginas para ensinar como roubar senhas de internet e criar páginas falsas. Em um desses endereços, há um verdadeiro cardápio que oferece diversos caminhos aos aprendizes de hackers. Até quem entende do assunto, está sujeito a cair nessas armadilhas.

Prejuízos reais

O músico Paulo Jobim, filho do maestro Tom Jobim, foi avisado por um amigo que havia outra pessoa se passando por ele em um site de relacionamentos. "A pessoa pode, inclusive, começar a mandar e-mails e levar conversas adiante e você nem está sabendo", diz Paulo.

Mesmo quem entende do assunto corre o risco de cair em uma armadilha. O técnico em informática Fernando, que tem quatro anos de experiência, foi vítima de um vírus escondido em uma foto recebida por um site de relacionamentos. Ele perdeu todas as informações de seu computador e teve prejuízo de R$ 2 mil.

No caso de Érica, o golpe atingiu a conta bancária. Um hacker conseguiu a senha dela e desviou R$ 1,4 mil. Érica levou seis meses para conseguir provar que havia sido vítima de um golpe. "Depois de muita dor de cabeça eu recebi meu dinheiro de volta", conta.

Fonte: G1 > Tecnologia