Menu

PRINCIPAIS NOTÍCIAS SOBRE INTERNET E TECNOLOGIA

05/08/2008

Quando a publicidade funciona, mas o site não

As pesquisas de mercado apontam para um aumento significativo no investimento em publicidade, um movimento impulsionado pelo bom momento do país, o amadurecimento do mercado e as novas tecnologias que surgem pra viabilizar tudo isso.

Mas existe um problema ainda desconhecido de muitos anunciantes, o desempenho da landing page.

Gasta-se muito tempo na produção das peças e na estratégia publicitária, o que é muito importante, claro. Mas o site fica em segundo plano neste ponto e daí surge o questionamento sobre baixas taxas de connect rate do site em relação a uma campanha de sucesso.

O que muitas vezes o anunciante não consegue perceber é que o problema pode estar na sua landing page - seja na navegação, desempenho ou acessibilidade. O usuário clica, chega ao site, mas não consegue chegar ao objetivo desejado e muitas vezes se questiona se a publicidade funcionou. Sim, ela funcionou, o problema está em outro lugar.

Produzir um site especial para uma ação publicitária depende de planejamento - não só na comunicação visual, mas também na parte técnica, caso contrário o visual fica comprometido.
Páginas pesadas demais

Já encontrei sites em que ao acessar a página o uso do processador chegava a 60% - uma taxa altíssima, comparável ao uso de softwares de grande porte. Mas espere aí, você está visualizando um site! É comum focar na parte visual (em animações, cores, sons) e nem se avaliar o impacto disso em máquinas mais modestas e conexões mais lentas.

Em outras situações, sites chegavam a ter mais de 1.8MB, onde pelo menos 900Kb eram apenas de um arquivo mp3 de som de fundo. Imagine só um arquivo com som de fundo ser metade do seu site sem ser o principal mecanismo de comunicação com o usuário. Isso é um grande download, principalmente para usuários de conexão discada. Em máquinas mais modestas, um site assim demora cerca de 65s para carregar. Este é um exemplo de como perder seu usuário.

Um grande percentual da perda de usuários ocorre com a demora de carregamento do site. Um processamento alto prejudica a renderização da página, assim como uma grande quantidade de elementos para serem carregados para um usuário com conexão limitada.

Não necessariamente um usuário de banda larga consegue navegar rápido no seu site. Ele pode estar baixando uma música, carregando outros sites ou, como é muito comum hoje, ter sua conexão compartilhada. Logo, o desempenho pode não ser aquele que você imagina.

Se você tem um objetivo de conversão, faça seu site ser direto. Conquiste a atenção do usuário, mas principalmente sua conversão.

Embora o Flash seja um aliado em comunicação multimídia, se você não seguir algumas dicas simples, ele pode se tornar o vilão do seu site.

Não abuse de animações. Embora sejam atrativas, consomem muito processamento e podem confundir a navegação do usuário, tirando o foco de outras áreas importantes.

Muito código significa mais uso de banda, mais tempo para carregar um conteúdo, maior custo para manter seu hosting. Você pode agilizar o carregamento, hospedando imagens e arquivos mais pesados em um servidor com cache.

Assim, carregue os elementos ou áreas do seu site sob demanda, o que minimiza consideravelmente o tempo de download e maximiza a experiência do usuário com o site.

Faça testes

Muitas empresas definem a navegação em seus sites sem realizar testes e só vão resolver os problemas em um redesenho que pode demorar a acontecer. Também esquecem de incluir um sistema de busca - o usuário está muito acostumado a buscar o conteúdo; ele não fica mais procurando aquele link ou navegando desesperadamente. Ele busca: é mais fácil, é mais rápido, leva ele para onde ele deseja.

Não deixe de incluir nos seus projetos os testes de desempenho e impacto de carregamento em diferentes configurações de máquinas e conexões. Assim você minimiza o problema de perda de usuários e conhece eventuais limites técnicos. Pode, por exemplo, trabalhar em diferentes versões do site de acordo com o perfil do usuário.

Use web analytics para avaliar a navegação dos usuários e identificar o ponto exato de perda deles - assim você economiza muito tempo e saberá exatamente onde precisa resolver algum problema.

Não tenha receio de modificar o site. A web evolui, os usuários estão mais exigentes, você precisa estar antenado a tudo isso. Quanto mais você entender seu usuário e cuidar da qualidade de código e desempenho do seu site, mais retorno terá.