Menu

PRINCIPAIS NOTÍCIAS SOBRE INTERNET E TECNOLOGIA

08/11/2013

Comércio eletrônico deve crescer 60% na Black Friday

O comércio eletrônico brasileiro deve crescer 60% durante a Black Friday – evento que concentra promoções e descontos.

De acordo com o E-bit, a Black Friday deve movimentar R$ 390 milhões para o varejo digital este ano ante um faturamento de R$ 243,8 milhões no mesmo período do ano passado.

A previsão é de que um milhão de pedidos sejam feitos via internet e o tíquete médio das compras fique em R$ 390. As categorias de maior valor agregado, como "Informática", "Eletrônicos" e "Eletrodomésticos", devem ser as mais vendidas.

Os descontos nestes produtos podem chegar a até 70%. "Moda e Acessórios" e "Telefonia/Celulares" completam a lista das cinco categorias mais procuradas na data. A E-bit afirma que o setor vem se preparando para a data, reforçando suas operações e negociando boas condições com os fabricantes.

Apesar disso pede para os consumidores terem cautela, verificarem se a loja é idônea e checarem as condições de compra e entrega.

Fonte: Corpbusiness

01/11/2013

Operadoras de internet são obrigadas a entregar 70% da velocidade

Entram em vigor nesta sexta-feira os novos limites de velocidade de banda larga fixa e móvel no Brasil, obrigado as operadoras a entregarem, em média, pelo menos 70% da velocidade contrata pelos usuários mensalmente. Isso quer dizer que, seu um assinante tem um plano de 10 Mbps, a velocidade média entregue pela operadora deve ser de, no mínimo, 7 Mbps no mês, em média.

O novo limite faz parte das metas estabelecidas nos regulamentos de Gestão da Qualidade dos serviços de Comunicação Multimídia (banda larga fixa) e Móvel Pessoal (banda larga móvel). Além da média mensal, a velocidade instantânea, no momento da conexão, deve ser de pelo menos 30%. Caso a prestadora entregue apenas 30% da velocidade contratada por vários dias, terá de, no restante do mês, entregar uma velocidade alta ao usuário para atingir a meta mensal de 70%.

Esses percentuais valem até novembro de 2014, quando serão ampliados para 80% na média mensal e de 40% na velocidade instantânea.

O controle na velocidade da banda larga fixa é feita pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) através de medidores instalados nos computadores de voluntários. Já a medição na banda larga móvel é feita através de uma parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Os medidores que monitorarão a qualidade do serviço serão instalados em escolas atendidas pelo Projeto Banda Larga nas Escolas Públicas Urbanas.

Fonte: Terra

26/10/2013

IBOPE e-commerce mostra perfil e comportamento do comprador online

De acordo com um estudo realizado este mês pelo IBOPE e-commerce com os internautas das principais regiões metropolitanas do país que participam do painel contínuo de comércio eletrônico, e que representam 80% do consumo do país, 86% deles já fizeram compras pela Internet.

A pesquisa “O Caminho do Consumo” foi apresentada hoje por Alexandre Crivellaro, diretor executivo do IBOPE e-commerce, durante o congresso E-Commerce Brasil Operações & Negócios 2013, o maior evento do setor na América Latina, realizado em São Paulo.

O IBOPE e-commerce acompanha o comportamento do internauta em sites de comércio eletrônico para entender, detalhadamente, o que o consumidor faz durante todo o processo de busca, considerando análises de alternativas e a decisão de compra de produtos pela internet.

O segmento de e-commerce ainda prevalece entre as classes AB, com 65% de sua representatividade, sendo que 18% delas moram em São Paulo e 16% no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte.

Apesar de a mobilidade impulsionar o crescimento do e-commerce, a maioria das pessoas ainda se sente mais segura em comprar por meio de computadores em vez de smartphones e tablets. “Das buscas de informações sobre produtos e serviços de comércio eletrônico no país, smartphones e tablets foram utilizados por 38% e 18% dos entrevistados, respectivamente”, explicou Alexandre Crivellaro. “O computador ficou bem na frente, utilizado por 98% das pessoas ouvidas na pesquisa”, completou o executivo.

A comodidade foi o fator positivo mais apontado pelos entrevistados, com 93% das citações. Melhores preços e a variedade na escolha dos produtos também foram itens muito citados, com 85% e 66% das respostas, respectivamente.

As principais críticas dos internautas que compram pela Internet se referem à impossibilidade de ver os produtos ou experimentá-los, com 84% das respostas; o medo de não receberem os produtos, com 56%; e a falta de opção para agendar a entrega do produto, com 54% das respostas.

“Diante de um problema com uma compra online, ao serem indagados sobre qual é a primeira coisa que costumam fazer, 58% dos entrevistados disseram que buscam solucionar o problema via e-mail ou por chat, 33% buscam solucionar o problema via SAC e apenas 7% colocam o problema nas redes sociais”, finalizou Alexandre.

A pesquisa O Caminho do Consumo representa cerca de 80% do consumo do Brasil ou cerca de 45,77 milhões de usuários ativos de Internet. Ela foi realizada em outubro de 2013 e ouviu 406 entrevistados do painel de e-consumers do IBOPE e-commerce, nas nove principais regiões metropolitanas do Brasil, mais o interior de Sul e Sudeste.

Fonte: iMasters

16/10/2013

Kaspersky afirma que spams ficaram mais perigosos

Um estudo da empresa de segurança Kaspersky revelou que a quantidade de spams está diminuindo, mas o material está se tornando mais perigoso. Em agosto, a quantidade de pishing nos e-mails cresceu dez vezes, representando 0,013% do fluxo de mensagens, apontou o estudo.

No geral, a quantidade de spam diminui 3,6% em relação a julho, representando 67,6% dos e-mails enviados no período. Destes, 5,6% continham anexos maliciosos – índice 3,4% maior do que o mês anterior.

De acordo com a Kaspersky, espalhar vírus e malwares por e-mail é uma opção mais lucrativa aos cibercriminosos do que distribuir propaganda por spam. O tema principal das mensagens era a volta às aulas. Mas, em alguns casos, os e-mails não promoviam material escolar. Os spammers só usaram esse tema para chamar a atenção para outros artigos que anunciavam, como produtos cosméticos.

Os principais países que são fontes de spam foram China, EUA e Coreia do Sul. No total, esses países representam 55% do spam mundial. A China ocupa o primeiro lugar, com 21% do total de spams enviados.

O Brasil, que chegou a liderar o ranking de spam, agora ocupa a 19ª posição no ranking da Kaspersky, devido a uma queda contínua que já perdura por mais de um ano. De acordo com Fabio Assolini, analista sênior de malware, a queda é “reflexo de uma política bem sucedida de bloqueio da Porta 25, liderada pelo Comite Gêstor da Internet no país”.

Os usuários de redes sociais continuam a ser o alvo mais cobiçado dos ataques de phishing, representando 29,6% dos ataques. No Brasil, o Facebook ainda é a rede social mais usada em ataques desse tipo.

Os serviços de e-mail e mensagens instantâneas, com 17,2%, mantiveram a segunda posição, com uma diminuição de 0,4%. Os ataques às ferramentas de busca cresceram levemente, atingindo 16,1%. Serviços financeiros tiveram uma taxa de spam de 13,8%; prestadores de serviços de telefonia e internet, de 7,8%; lojas e leilões online, de 5,4%; e jogos online, 0,7%.

Em agosto, a Apple esteve entre os principais alvos dos ataques dos phishers. A Kaspersky Lab encontrou com bastante frequência mensagens supostamente procedentes de endereços oficiais da companhia, mas que na realidade eram mensagens de phishing feitas para enganar os usuários e roubar os seus logins e senhas.

Fonte: iMasters