Menu

PRINCIPAIS NOTÍCIAS SOBRE INTERNET E TECNOLOGIA

07/04/2013

Internet completa 44 anos; relembre a história da web

É bem verdade que o “boom” da Internet se deu nos anos 90. No entanto, neste dia 7 de abril, você sabia que a Grande Rede completa 44 anos de vida? Obviamente, não desta forma como todos conhecem atualmente, mas foi em 1969 que nasceu o princípio básico do que viria a ser uma das grandes invenções do homem no último século.

Atualmente, é complicado imaginar a vida sem redes sociais, e-mails e sites de buscas. No entanto, no início da história da Internet, o objetivo estava longe de ser negócios ou entretenimento. Tudo começou na área militar dos Estados Unidos, com a intenção de ajudar a proteger o país nas guerras.

Anos 60-70: Guerra Fria dá origem às redes

Os conceitos militares por trás da Internet começaram a surgir em meados dos anos 50, mas só na década de 60, com o mundo polarizado entre Estados Unidos e URSS que a ideia se desenvolveu. Cientes de poder da comunicação, os EUA criaram um sistema de descentralização de suas informações no Pentágono para evitar que possíveis ataques causassem a perda irreparável de documentos do governo.

Em 1962, o engenheiro Joseph Licklider, do Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT),já falava na criação de uma Rede Intergalática de Computadores. Sete anos depois, ficou estabelecido o marco do “nascimento da Internet”, com a criação da ARPANET, a rede de conexão da DARPA, Agência de Projetos de Pesquisa Avançada dos Estados Unidos.

Ela atuava com um sistema chamado chaveamento de pacotes, onde as informações são divididas em pequenos pacotes que contêm trechos dos dados, os endereços de destinatários e informações que permitiam a remontagem da mensagem original. Era uma forma de codificação da época, para garantir a segurança do país, que estava de olho em se proteger de possíveis ataques soviéticos.

Anos 70-80: Surge o termo Internet

Esta década foi fundamental para a mudança de padrão de conexão que permitiu que os atuais protocolos de Internet nascessem. São os protocolos TCP/IP, vindos de trabalhos experimentais em cooperação entre a DARPA e outras agências.

A primeira descrição de protocolos TCP foi feita no ano de 1973, pelos especialistas Net Vinton Cerf e Bob Kahn. O uso do termo “Internet” para uma rede TCP/IP global se deu em dezembro de 1974, com a publicação da primeira especificação completa do TCP, assinada por Vinton Cerf, Yogen Dalal e Carl Sunshine, na Universidade de Stanford.

A partir de então, bastou só dar mais qualidade aos protocolos e tentar implementar novas tecnologias para fazer com que estas novas redes pudessem suportar a quantidade de acessos que era crescente a partir daquele momento.

Anos 80-90: Início das grandes redes

O dia 1 de janeiro de 1983 marcou a entrada no ar da primeira rede de grande extensão baseada em TCP/IP. Todos os computadores que usavam a tal ARPANET trocaram os antigos sistemas de pacotes pela nova tecnologia. Dois anos depois, nasceu a National Science Foundation Network, um conjunto de redes universitárias interconectadas em 56 kilobits por segundo (kbps).

O Protocolo de Internet (Internet Protocol) permitia que a transição de dados entre redes. Assim, todas as redes conectadas pelo endereço IP na Internet poderiam navegar pelos arquivos e trocar mensagens. Então, nasceram os backbones, computadores que fazem estas tarefas. Estava estabelecido o modo de conexão.

Mas foi somente em 1988, com a abertura da rede para interesses comerciais, começou a “popularização” da grande rede. Serviços de correio eletrônico e provedores que faziam a conexão à rede pelo antigo método dial-up começaram a surgir no final dos anos 80. O “boom” que a web teve na década de 90 só foi possível graças a esta atitude dos Estados Unidos em “comercializar” a Internet e ao modelo de “hipertexto” que surgiu em 1989.

Anos 90-00: O boom da WorldWideWeb

Em 1992, o cientista Tim Berners-Lee criou a World Wide Web – ou esse “www” que se digita antes do nome de qualquer site. A rede nasceu na Organização Europeia para a Investigação Nuclear, que propôs a criação dos hipertextos para permitir que várias pessoas trabalhassem juntas acessando os mesmos documentos. Esta foi a gêneses do processo de conexão à Internet atual.

Também nos anos 90, a empresa norte-americana Netscape criou um protocolo HTTPS (HyperText Transfer Protocol Secure),que garante o envio de dados criptografados pela web. Com isso, estava nascendo a Internet atual. E o interesse mundial em torno desta nova ferramenta foi enorme, causando um grande “boom” na década de 90, quando as pessoas começaram a ter PCs e acesso, ainda discado, à grande rede.

A oferta de conteúdo era enorme e aumentava a cada ano a partir de 1992. Foi na década de 90 que começaram a surgir grandes portais, como AOL e Yahoo, salas de bate-papo e mensageiros instantâneos, como o ICQ e o mIRC, os serviços de e-mail gratuitos, como o Hotmail, e, claro, sites de busca, como Google e Cadê. E, nos anos 2000, este “boom” iria se consolidar e ganhar ainda mais revoluções.

Anos 00-Hoje: A era da Web 2.0

Após o surgimento da Internet para o público em geral, era necessário consolida-la entre as pessoas. E esta tarefa não foi muito difícil dada às facilidades impostas para aquisição de computadores e também às grandes novidades que a web recebeu nos anos 2000. A tecnologia evoluiu muito e, assim, permitiu avanços significativos.

A Internet discada deu lugar à Banda Larga e até à conexão no seu próprio celular, com a rede 3G (e agora 4G). Ao invés de uma ferramenta de difícil acesso e ainda crescendo, a Internet virou praticamente uma necessidade diária, seja no dia a dia das empresas ou na casa de um usuário que busca entretenimento ou faz pesquisas para o dever de casa.

O compartilhamento de arquivos em sites P2P como o Kazzaa surgiu para destacar uma faceta multimídia da Internet. Veio a era das redes sociais, para reunir amigos e fazer os novos contatos, com Orkut, MySpace, Twitter, Facebook e etc. Os simples ICQ e MSN deram lugar ao Skype e ferramentas que permitem fazer até ligações para telefones comuns.

Cresceu o número de provedores, o comércio online se estabeleceu, o mercado de jogos apostou no online e agradou, há centenas de redes de conteúdo multimídia usando tanto streaming como buffer para entreterem os internautas… Hoje, a Internet é um mundo de grandes possibilidades. E não há dúvida de que o futuro ainda reserva mais novidades.

Futuro: O que ainda vem por aí?

A tendência principal é de que o mobile tome conta do mercado cada vez mais. A ideia de estar sempre conectado à Internet ganhou muita força nos últimos anos e com os tablets e smartphones, a conexão à web se tornou quase que uma necessidade diária de boa parte da população. E o investimento das empresas nesta área só aumenta.

Parece estar nascendo uma geração em que o consumo de conteúdo via web é enorme, com a demanda aumentando constantemente. As redes sociais seguem se reinventando, os aplicativos móveis seguem nascendo a cada dia e, nos próximos anos, a expectativa é de que o foco esteja cada vez mais na convergência das mídias para a Internet.

Assistir televisão, ouvir rádio, entrar no Facebook, mandar uma mensagem e ligar para o seu amigo. Tudo “ao mesmo tempo”, do mesmo lugar, sempre conectado. Por ser uma ferramenta em um ambiente livre, a Internet permite muitas possibilidade e com todos os avanços tecnológicos atuais, não é difícil crer que ela vai se perpetuar por um longo tempo.

Fonte: Tecnoblog

26/03/2013

Compras online são mais conscientes que as feitas em lojas físicas

De acordo com uma pesquisa realizada pelo comparador de preços Kuantokusta, em parceria com a Netquest, 61% dos entrevistados alegaram que as compras realizadas via Internet são mais conscientes que as feitas em lojas físicas.

A razão para isso é a presença do vendedor, que faz uso intensivo de argumentos para tentar convencer os clientes, inibindo o raciocínio e estimulando a comprar por impulso. Segundo o levantamento, 57% dos respondentes disseram se sentir pressionados em lojas físicas.

“O resultado ressalta, mais uma vez, que o consumidor gosta de tempo para analisar o produto, avaliar se realmente precisa dele para formar uma decisão de compra consciente e a compra online proporciona isso”, analisa o CEO do Kuantokusta, Flávio Pagotto. Para 32%, a prática de comprar por impulso acontece com mais frequência no processo presencial. No mundo virtual, a taxa cai para 24%.

Além disso, o estudo revelou que 54% das pessoas que compram em lojas físicas estão acompanhadas. Na Internet, 73% realizam suas aquisições sozinhas. “Geralmente as pessoas precisam da opinião de alguém confiável e não têm muitas informações sobre o produto. Quando a compra acontece pela internet é mais fácil de encontrar informações e, por isso, elas se sentem mais seguras”, explica o CEO do Kuantokusta.

Ao serem perguntados sobre quando foi a última vez em que se arrependeram de uma compra, 43% responderam que ela foi realizada em uma loja física, 28% em uma loja online e 29% não se lembram.

O estudo contou com a participação de 1081 pessoas e foi realizado com o objetivo de traçar o perfil de compra dos e-consumidores.

Fonte: iMasters

20/03/2013

Brasil sai da lista dos 10 países que mais enviam spam

Desde o dia 1º de janeiro, as operadoras brasileiras estão cumprindo uma regra do Comitê Gestor da Internet que consiste em bloquear a porta 25 das conexões domésticas. A medida tinha como objetivo diminuir a quantidade de spam enviada por computadores brasileiros e parece estar dando muito certo: caímos da sexta para a 12ª posição na lista dos países que mais enviam spam.

O anúncio foi feito pelo NIC.br com base nas informações do Composite Blocking List (CBL),uma lista com diversas estatísticas sobre o spam no mundo. No ranking dos países que mais enviam spam, a melhoria do Brasil foi notável. Estávamos em primeiro lugar até o 1º trimestre de 2010, ficamos em segundo lugar por dois anos e, a partir do 3º trimestre de 2012, houve uma queda brusca até chegarmos na 12ª colocação.

A queda no número de IPs spammers é considerável. Em 2009, mais de um milhão de IPs brasileiros estavam registrados no CBL, o que correspondia a 17% da lista. Agora? São menos de 200 mil IPs, o que representa apenas 2% do total. Claro, ainda podemos melhorar, mas já demos um passo significativo.

O coordenador do Projeto da Gerência de Porta 25, Henrique Faulhaber, comenta que “nos últimos seis meses a evolução foi muito boa, claramente influenciada pela fase final da adoção da medida” e espera que o Brasil caia ainda mais no ranking. O diretor-executivo do SindiTelebrasil, Eduardo Levy, diz que “a contribuição das prestadoras de telecomunicações foi determinante [para a redução no spam]“.

Segundo a CBL, a líder no envio de spams é a China, com 3,2 milhões de IPs spammers (35%). Em seguida, aparecem Índia, Vietnã, Rússia, Bielorrússia, Irã e Estados Unidos.

Fonte: Tecnoblog

19/03/2013

Outlook.com substitui o Hotmail a partir desta terça-feira

A Microsoft afirmou nesta terça-feira (19) que o serviço de e-mails Hotmail chegou ao fim, dando lugar ao Outlook.com. O novo serviço, em fase de testes desde julho de 2012, agora entrou em fase operacional.

O Outlook.com, que une a parte Live.com e contatos do antigo Hotmail, bem como contatos do Messenger e arquivos do Skydrive, já estava disponível para usuários brasileiros desde o anúncio da mudança em julho de 2012.

Ao entrar no Hotmail.com, os usuários serão levados à página do Outlook.com. A Microsoft diz que não obrigará os usuários a mudar o endereço de e-mail com final "@hotmail.com", mas que a mudança para "@outlook.com" será permitida.

Desde essa época até agora, a empresa diz que novos 60 milhões de usuários cadastraram no Outlook.com.

Os endereços de e-mail do Hotmail dos usuários não serão alterados, a mudança ocorre apenas na página de acesso do serviço. Não haverá mudanças na senha do usuário, nos contatos, nas mensagens recebidas e enviadas, nas pastas de e-mails e em outros recursos utilizados e criados para uso no Hotmail.

Para atualizar sua conta, o usuário deve acessar o site www.outlook.com digitando seu endereço de e-mail e sua senha atuais.

Como novidade, também, haverá uma versão do Skype embutida no serviço, dispensando a instalação do programa no PC. Na prática, qualquer computador que o usuário acessar e que possui uma câmera poderá ser usado para usar o programa de videochamadas. O serviço ainda não está disponível e seu lançamento deve ocorrer nas próximas semanas.

O Hotmail tem 60 milhões de usuários no Brasil. Mundialmente são 360 milhões de usuários em 220 países.

Mudanças

O Live.com era o portal de serviços da Microsoft em que o usuário podia acessar o Hotmai, o Office on-line, o Messenger e o Skydrive. Ao entrar no endereço do serviço, alguns usuários já são redirecionados ao Outlook.com.

O visual das páginas se assemelha ao do Windows 8, novo sistema operacional da companhia que será lançado no dia 26 de outubro. Além de acessar e-mails, o usuário pode conversar com os amigos, acessar contatos e o calendário. Arquivos que ficam no Skydrive, serviço de armazenamento na nuvem da empresa, ficam na mesma área, permitindo serem compartilhados por e-mail.

O Skydrive tem 7 GB de espaço de armazenamento gratuito para todos os usuários.

Fonte: G1