Menu

PRINCIPAIS NOTÍCIAS SOBRE INTERNET E TECNOLOGIA

29/09/2009

Banda larga estará em 20% das casas mundiais até o final do ano

A Gartner, consultoria especializada em tecnologia, divulgou um estudo nesta segunda-feira (28/9),que revelou que 20% de todas as casas do mundo estarão conectadas à internet de alta velocidade até o final deste ano.

As informações publicadas pela agência AFP, indicaram que em 2008, 382 milhões de casas já tinham conexão, mas este número aumentará para 422  milhões em 2009, ou seja, 10,5 % a mais.

Para 2013, a Gartner aposta em 580 milhões, o que representaria uma alta de 37,4% em relação a 2009.

"Apesar da crise econômica mundial, o número de casas conectadas à internet de alta velocidade continua aumentando de forma significativa", destaca a Gartner.

O estudo ainda aponta que China, Brasil e Índia terão forte desenvolvimento nestas conexões, mas a diferença em relação às nações industrializadas continuará sendo grande.

No fim de 2008, quase 20 países tinham percentuais de conexões superiores a 50%. A Coreia do Sul, com 86% de suas casas equipadas com esta tecnologia, está à frente da lista, que termina com a Indonésia (1%). Também estão na lista Holanda e Dinamarca com 80%.

21/09/2009

Pesquisa aponta que internet está em 23,8% dos lares brasileiros

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2007 e 2008, do IBGE, o número de residências brasileiras com acesso à internet cresceu de 11,1 milhões em 2007 para 13,7 milhões em 2008 (20% dos domicílios em 2007, contra 23,8% de 2008).

Além disso, o levantamento apontou o número de casas com computadores foi de 26,5% em 2007 para 31,2% em 2008, um acréscimo de 17,95 milhões residências. O destaque vai para a região Sudeste, onde 56% das residências têm computador.

A região Sudeste também é a que possui o maior número de domicílios conectados, com 31,5%. Em seguida, vêm as regiões Sul (2,5 milhões; 28,6%),Centro-oeste (999 mil; 23,5%),Nordeste (1,7 milhão; 11,6%) e Norte (427 mil; 10,6%).

A pesquisa consultou mais de 391 mil pessoas em mais de 150 mil domicílios no Brasil.

17/09/2009

Atenção .net.br - término do período de reservas em 06/10

A partir de 27 de outubro de 2009, o .net.br aceitará pedidos, tanto de pessoas físicas, como de pessoas jurídicas. Isso significa que todos poderão registrar um domínio sob o .net.br que se tornará um domínio "genérico" como já é hoje o .com.br. (desde 1 de maio de 2008, o registro de domínios .com.br aceita pedidos, tanto de pessoas físicas, como de pessoas jurídicas.)

Entretanto é necessário garantir um início suave e justo do funcionamento do .net.br. Para isso foi estabelecido um período de seis meses (internacionalmente conhecido como "sunrise period" - o "período de alvorada"),em que o direito prévio de quem já tinha um domínio sob o .com.br possa ser preservado. Assim, se você tem um domínio que termina com .com.br, pode registrar, caso assim o queira, esse mesmo nome sob o .net.br. Essa proteção especial termina em 6 de outubro de 2009. A partir de 27 de outubro, qualquer nome disponível sob o .net.br poderá ser registrado por qualquer interessado. Ou seja, caso haja interesse em registrar no .net.br o mesmo domínio que possui hoje no .com.br, essa reserva estará garantida apenas até 0h de 6 de outubro. Se esse direito não for exercido até aquela data, isso indicará que o possuidor daquele domínio .com.br libera o nome equivalente sob .net.br a quem se interessar.

Portanto, se há interesse em registrar o nome que usa no .com.br também no .net.br, faça-o o quanto antes utilizando-se desse período de proteção.

Entre 6 de outubro e 27 de outubro existirá um período de segurança, durante o qual o registro sob o .net.br ainda estará fechado para nomes pré-existentes no .com.br e que se destina à resolução de eventuais pendências que tenham surgido durante o período de reserva. A partir de 0h de 27 de outubro, o registro sob o .net.br estará aberto normalmente a todos. Se houver dúvidas estamos a disposição.

15/09/2009

Microsoft lança novo Zune para enfrentar o iPod

A Microsoft lançou uma versão mais fina e reformulada de seu player de mídia Zune nesta terça-feira, no mais recente esforço da gigante do software para concorrer com o iPod, da Apple.

O Zune HD, com tela sensível a toques, receptor de rádio e WiFi, tem preço pouco inferior ao do iPod Touch, o produto comparável da Apple, e a expectativa da empresa é capturar mercado diante da aproximação da temporada de festas de fim de ano nos Estados Unidos.

A Microsoft afirma que o aparelho é superior tecnicamente em relação ao iPod, com uma tela OLED e capacidade de transmitir vídeo de alta definição a um televisor. Mas será difícil causar impacto sobre as vendas do iPod, lançado em 2001 e hoje com participação de mais de 70 por cento nesse segmento. O primeiro Zune só chegou ao mercado em 2006.

A Microsoft anunciou o preço dos novos modelos no mês passado, com a versão preta de 16 gigabytes oferecida por 219,99 dólares e a versão platina, de 32 gigabytes, a 289,99 dólares. Versões personalizadas em vermelho, azul e verde também estão disponíveis.

Na época, o preço era bem inferior aos 399 dólares que a Apple cobrava pelo iPod Touch de 32 gigabytes, mas uma versão atualizada do modelo foi lançada posteriormente com preço de 299 dólares. A Apple também oferece agora um iPod Touch de 64 gigabytes, e uma câmera de vídeo no modelo iPod Nano.

Não existem planos para oferecer um Zune com câmera, disse Brian Seitz, gerente de marketing da Microsoft, na segunda-feira.

Ele também afirmou que a empresa não tem planos de criar um celular Zune para enfrentar o iPhone, apesar dos rumores recorrentes. Mas afirmou que as capacidades do Zune poderiam ser acrescentadas a outras plataformas, entre as quais o Windows Mobile, o que sugere que um celular inteligente com funções semelhantes às do Zune pode ainda surgir.

O aparelho conta com o Zune Marketplace, concorrente da loja iTunes, da Apple, que permite que os usuários ouçam ou baixem música, vídeo e filmes.

O aparelho só tem alguns aplicativos, como o MSN Weather, e videogames, mas a intenção da Microsoft é adicionar programas para redes sociais, como o Twitter e Facebook, em novembro. Ao contrário da Apple, a Microsoft não tem mercado aberto para desenvolvimento de aplicativos, e não cobra por eles.