Menu

PRINCIPAIS NOTÍCIAS SOBRE INTERNET E TECNOLOGIA

19/09/2014

Web atinge a marca de 1 bilhão de sites

Neste mês, 25 anos após sua criação, a World Wide Web, ou www, registrou a marca de 1 bilhão de sites. A informação foi divulgada na terça-feira por Tim Berners-Lee, criador da World Wide Web.

Berners-Lee trabalhava no então Conselho Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN, em francês) e lá apresentou em 1989 a primeira proposta de um sistema de distribuição de informações baseado no uso de hipertexto, inicialmente batizado ‘Mesh’. Ele criou o primeiro site (info.cern.ch) em agosto de 1991.

O conteúdo original pode ser acessado em info.cern.ch. A teia começou por descrever-se como uma ampla área hipermídia de recuperação de informações com objetivo de dar acesso universal a um grande universo de documentos. Os sinais são de que teve sucesso.

Segundo o internetlivestats.com, “recentemente excedemos 1 bilhão de websites, uma marca que, de acordo com nossas estimativas, foi alcançada em setembro de 2014. Dadas as flutuações mensais na conta de websites inativos, a marca de 1 bilhão precisa ser confirmada nos meses adiante”.

Há sites que são removidos, e uma imensa parcela deles inativos, algo da ordem de 75%. Uma projeção apurada é feita a partir da comparação de páginas de cada hotsname no mesmo endereço IP, contando-se apenas os sites com conteúdo único.

Fonte: iMasters

19/09/2014

Supremo derruba imposto a mais em vendas pela internet

O Supremo Tribunal Federal derrubou a cobrança de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no estado de destino de mercadorias compradas pelas internet. A tese era defendida principalmente por estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que reclamam da falta de recolhimento de ICMS nas vendas online. No entendimento dos ministros do Supremo, a cobrança de parte da alíquota no destino da encomenda fere a Constituição.

O colegiado chegou à conclusão de que poderia haver bitributação caso continuasse em vigor uma norma editada em 2011 pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). O documento foi assinado neste ano por 17 estados e o Distrito Federal. Na prática, o imposto cobrado no estado de origem poderia ser cobrado também no estado de destino do produto.

“Cara de pau incrível“. Estas foram as palavras usadas pelo ministro Marco Aurélio Mello para descrever o chamado Protocolo 21. Ele disse que a Constituição ficou em “segundo plano“ na tentativa de 18 unidades federativas para garantir maior recolhimento de ICMS.

Já o ministro Gilmar Mendes reconheceu que há um problema na concentração de recursos. Não é preciso ser um profundo conhecer da logística do e-commerce brasileiro para saber que os centros de distribuição de empresas como B2W (dona de Submarino, Americanas.com e Shoptime.com),Saraiva e Ponto Frio se concentram na região Sudeste – em especial, São Paulo. Desta forma, atendem com mais facilidade o maior mercado consumidor do país. Por outro lado, cria-se uma discrepância em relação ao recolhimento normal de ICMS em vendas físicas. Nestes casos, o estado em que a compra foi feita também abocanha uma alíquota do imposto.

A Confederação Nacional da Indústria ajuizou uma das ações contra o Protocolo 21. De acordo com o advogado da entidade, Gustavo Amaral Martins, a norma criava uma nova incidência de imposto. “O ICMS era exigido duas vezes depois da decisão do Confaz”, disse.

A questão do recolhimento de impostos na venda de produtos pela internet não é uma exclusividade do Brasil. Lá nos Estados Unidos, é pública e notória a briga da Amazon com diversos estados para evitar o pagamento no local de origem e de destino das encomendas. Quando Jeff Bezos montou a empresa, tinha em mente que deveria ser baseada num estado com impostos menores. Por isso mesmo, escolheu Washington para o quartel-general da companhia (não confundir com Washington D.C., capital americana).

O assunto é uma verdadeira confusão. A Amazon chegou a fechar acordos para repasses de impostos em alguns estados, como Califórnia e Kansas, mas entrou em litígio judicial com governos de outros locais, incluindo aí Nova York. Como nos EUA tudo se resolve nos tribunais, existe uma expectativa de que a possível “Lei Amazon“, quando sair, inspire legislações em outros países.

Fonte: Tecnoblog

11/09/2014

5 milhões de senhas do Gmail foram publicadas num fórum russo

Se você ainda não criou uma senha difícil de ser quebrada e ativou a verificação em dois passos do Gmail, considere fazê-lo agora. É que, segundo o Daily Dot, um fórum de Bitcoin russo recebeu a publicação dos usuários e senhas de 5 milhões de contas do Gmail.

Representantes do Google afirmaram que não se trata de um ataque direto aos seus servidores, mas sim senhas coletadas ao longo dos anos por meio de phishing ou por hackers. Tanto que, segundo eles, boa parte dos dados coletados correspondem a senhas antigas ou contas agora desativadas.

Mas, segundo o usuário que fez o post na terça-feira, 60% das informações ainda estão válidas.

Além de contas do Gmail – especialmente de usuários que falam inglês, russo e espanhol – , também foram vazadas senhas do Yandex, o mecanismo de busca mais utilizado na Rússia.

O Daily Dot indica este site para verificar se seu email está entre os 5 milhões que tiveram suas senhas divulgadas. Mas insistimos: é melhor prevenir do que remediar, então já altere a sua e ative a verificação em duas etapas.

Fonte: Tecnoblog

05/09/2014

Cybercriminosos: Alavancagem nas Práticas de Phishing Financeiro

Os especialistas da Kaspersky Lab, registraram um aumento substancial na quantidade de phishing financeiro em spam. Houve um aumento de 7,9 pontos percentuais na quantidade de e-mails fraudulentos, que exploram, fortemente, reputação de bancos de renome, serviços de pagamento, lojas online e organizações similares. Como resultado disso, essas mensagens representaram cerca de 42 por cento de todas as mensagens de phishing que foram disseminadas. Entre todos os sistemas de pagamento visados, os cybercriminosos voltaram maior atenção para o PayPal: assim, as referências a este serviço desencadearam o aumento mais dramático relacionado a alertas nos últimos tempos.

No geral, a participação do spam no tráfego de e-mail aumentou 2,2 pontos percentuais no mês de julho, trazendo-a para 67 por cento. Os EUA são novamente o país "líder" no que se refere a e-mail não solicitado: um sexto (15,3 por cento) de todo o spam mundial foi enviado por este país. Além disso, a Rússia mantém sua segunda posição de longa data neste ranking, com 5,6 por cento de todo o spam. Isso, no entanto, é 1,4 pontos percentuais a menos do que o que havia sido registrado em junho. Já a China continua em terceiro lugar, sendo responsável pelo fornecimento de 5,3 por cento do spam global.

Fonte: UnserLinux

Mais notícias: