Menu

PRINCIPAIS NOTÍCIAS SOBRE INTERNET E TECNOLOGIA

15/10/2008

Internet melhora desempenho do cérebro, diz estudo

Um novo estudo americano sugere que pessoas na meia-idade ou mais velhas aumentam o poder de seus cérebros com o uso da internet.
 
Pesquisadores da Universidade da Califórnia-Los Angeles descobriram que a busca de dados pela rede estimula centros do cérebros que controlam a tomada de decisões e o raciocínio complexo.
 
Segundo os cientistas, isso pode até ajudar no combate a mudanças fisiológicas relacionadas à idade que levam o cérebro a ficar mais lento.
 
 
Com o envelhecimento, o cérebro passa por uma série de mudanças, incluindo o encolhimento e redução na atividade celular, o que pode ter um impacto no desempenho cerebral.
 
Acreditava-se que atividades como palavras-cruzadas ajudariam a manter o cérebro ativo e também a minimizar o impacto do envelhecimento. O novo estudo sugere que surfar pela internet também pode ser uma destas atividades.
 
"Os resultados do estudo são encorajadores, as tecnologias que estão surgindo podem ter efeitos fisiológicos e benefícios potenciais para adultos de meia-idade ou mais velhos", diz o professor Gary Small, que liderou a pesquisa.
 
"As buscas na internet envolvem uma complicada atividade cerebral, que pode ajudar a exercitar o cérebro e melhorar as funções cerebrais", acrescenta Small.
 
O estudo foi publicado na revista American Journal of Geriatric Psychiatry.
 
Exames
 
Os cientistas trabalharam com 24 voluntários com idades entre 55 e 76 anos. Metade era formada por usuários experientes da internet. Cada voluntário teve o cérebro examinado enquanto fazia buscas na internet e lia livros.
 
Os dois tipos de tarefas deram provas de uma atividade significativa em regiões do cérebro que controlam linguagem, leitura, memória e habilidades visuais.
 
No entanto, a busca na internet produziu atividade adicional em áreas separadas do cérebro, que controlam a tomada de decisões e raciocínos complexos, mas apenas nos voluntários que eram usuários experientes da internet.
 
Segundo os pesquisadores, comparando com a simples leitura, as múltiplas escolhas da internet exigem que as pessoas tomem decisões a respeito do que clicar para conseguir informações relevantes.
 
Os cientistas sugeriram, porém, que os usuários inexperientes da rede não conseguiram compreender bem as estratégias necessárias para uma busca bem-sucedida.
 
"Uma tarefa simples, cotidiana, como fazer buscas na internet, parece intensificar os circuitos cerebrais nos adultos mais velhos, demonstrando que nosso cérebro pode continuar a aprender à medida que envelhecemos", afirma Small.
 
"Essas descobertas fascinantes se somam a pesquisas anteriores e sugerem que pessoas de meia-idade ou mais velhas podem reduzir o risco de sofrer de demência ao praticar regularmente atividades cerebrais estimulantes", diz Rebecca Wood, diretora-executiva da organização Alzheimer's Research Trust.
 
"Interação social frequente, prática regular de exercícios e a manutenção de uma dieta balanceada também podem reduzir o risco de demência", acrescenta Wood.
 
No entanto, para Susanne Sorensen, chefe de pesquisas da Alzheimer's Society, "ainda há poucas evidências de que manter o cérebro ativo por meio de palavras-cruzadas, jogos e outras atividades" pode reduzir o risco de demência.

13/10/2008

YouTube começa a passar programas da CBS na íntegra

O YouTube, maior site de compartilhamento de vídeos da Internet, começou a disponibilizar programas inteiros do arquivo da CBS Corp., em mais uma iniciativa no sentido de incluir programação profissional e atrair anunciantes para o site.

Na sexta-feira, o YouTube, subsidiária do Google Inc., anunciou contatos com outras redes norte-americanas para exibir programas na íntegra. Várias redes já disponibilizam trechos no site, que também abriga o conteúdo produzido por milhões de amadores no mundo.

Episódios inteiros (20 a 48 minutos) de vários seriados da CBS, como "Jornada nas Estrelas" e "Barrados no Baile", já estão disponíveis no YouTube. Eles vêm com uma tarja para distinguir o programa integral dos clipes, e poderão ser vistos no novo modo "cinema".

Embora a maioria do seu conteúdo ainda sejam vídeos com até dez minutos, nos últimos meses o site vem tentando incorporar programas integrais dos canais a cabo HBO, da Time Warner, e Showtime, da própria CBS.

A nova parceria coloca o YouTube em competição mais direta com o Hulu, novo site da NBC Universal, com a íntegra de programas das redes Fox, NBC e CBS, além de um canal YouTube, com versões resumidas dos seus próprios programas.

Mas a audiência do YouTube é muito maior que a do Hulu. Em agosto, o YouTube teve mais de 330 milhões de usuários, segundo a auditoria da empresa comScore. O Hulu teve apenas 3,3 milhões de usuários.

Mas, mesmo recebendo 13 horas de vídeo por minuto, o YouTube sofre para estabelecer um modelo publicitário forte, que justifique os 1,65 bilhão de dólares que o Google pagou pelo site em 2006.

Os anunciantes relutam em associar suas marcas com as imagens granuladas e amadoras da maioria dos vídeos. Em parte por isso, os executivos do site buscam acordos para ampliar sua parceria com as empresas do setor de mídia.

Além disso, o Google e o YouTube enfrentam um processo de 1 bilhão de dólares da Viacom por violação de direitos autorais, por causa da inclusão no site de material dessa empresa sem a respectiva permissão.

12/10/2008

E-mail marketing: Por que é tão importante manter a excelência na entrega?

Quando se planeja uma campanha de e-mail marketing, costumo ver que o principal foco dos profissionais de marketing e comunicação está na atração do maior número de destinatários possível para a leitura das mensagens. Afinal, o principal objetivo de qualquer ação de marketing é: audiência e conversão. Tamanha é a nossa concentração no recado a ser enviado que, muitas vezes, esquecemos que o e-mail marketing deve ultrapassar a redação e a criação de um layout. Há uma série de aspectos a serem observados para que nosso objetivo maior seja atingido.

Para criarmos uma campanha digital verdadeiramente bem-sucedida, precisamos ficar atentos a todo um escopo de trabalho, que torna a rotina do envio mais bem sucedida, conquista melhores resultados, visualização e, principalmente, mensuração do ROI. O primeiro passo é, justamente, a criação do template, não somente focado no desenho ou na imagem a ser escolhida, mas no desenvolvimento de um material que será efetivamente visualizado pelos destinatários do e-mail.

É preciso entender, antes de mais nada, que provedor não vê layout, mas sim códigos HTML. Se isso não for bem trabalhado, a entrega pode ser comprometida por conta da dificuldade na visualização da mensagem. Portanto, nessa etapa inicial, a questão ainda não é criação, mas sim desenvolvimento tecnológico.

Em segundo lugar, é necessário integrar as boas práticas de e-mail marketing e usabilidade a esse processo. Otimizar imagens, criar textos atrativos, verificar a diagramação e encontrar o equilíbrio ideal entre texto e imagem.

A partir daí é que se inicia o processo de entrega das mensagens, com a segmentação das bases de contatos e escolha dos destinatários mais adequados. É exatamente nesse momento que a plataforma, por si só, ganha fundamental importância, pois traz a capacidade de segmentar a base e distribuir conteúdos relevantes para cada grupo de pessoas de forma programada e automatizada. Porém, entre a segmentação e o envio real há um longo caminho, que precisa ser trilhado a contento para que a entrega cumpra seus objetivos.

Quanto mais as empresas se preocuparem em alinhar o Marketing de relacionamento às boas práticas de usabilidade, mais o trabalho caminhará para um processo de fluidez permanente. As ferramentas de relacionamento digital conseguem falar com milhares de pessoas diferentes e responder a todas com a mesma velocidade. Quanto mais “redondo” e bem articulado estiver o sistema utilizado, mais retornos e melhores respostas sua empresa terá.

Boas práticas de email marketing, template otimizado, base de contados segmentadas, envio, visualização e click throught. Eis aí o ciclo de um trabalho realmente bem articulado. Não se pode esquecer que uma boa plataforma de envio não faz seu trabalho sozinha. Ela precisa estar a serviço de uma equipe bem preparada para dar o retorno esperado.

Isso é o que chamamos de Inteligência Digital, ou seja, aplicar conhecimentos, adquiridos por meio de atuais estudos e pesquisas que possibilitam a geração de um retorno alinhado às expectativas de todo e qualquer marketing. Sabemos que os softwares, por mais completos que se apresentem, precisam de uma programação adequada de acordo com a demanda de cada empresa, que pode ser feita pelas equipes. Sem a necessidade de mexer em sua estrutura tecnológica, os sistemas vêm preparados para serem alinhados com o foco de cada organização.

Uma equipe que entende bem o e-mail marketing e também a importância da comunicação digital para análise de reputação da marca, alinha tudo isso às funcionalidades de uma plataforma, sem dúvida, contribui em prol de algo muito maior: a fidelização de seu público a cada clique realizado em uma mensagem.

10/10/2008

Estudo aponta que 53% de crianças foram expostas a conteúdo impróprio na web

Uma pesquisa inédita realizada pela ONG SaferNet Brasil mostra a relação dos jovens brasileiros com a internet, e os perigos que eles correm. A organização é responsável pela Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo.
 
O estudo, divulgado nesta quinta-feira, concluiu que 53% das crianças e jovens tiveram contato com conteúdos agressivos e considerados impróprios para sua idade através da web.
 
Além disso, 87% dos jovens internautas afirmaram que não possuem restrições ao uso da web e 64% disseram que navegam pela internet principalmente no próprio quarto, local considerado impróprio pelos especialistas no assunto. Como forma de prevenção, o computador deve ficar em uma área comum da residência.
 
Feita com 1.326 internautas de todo o país, a pesquisa também mostrou o posicionamento dos pais em relação ao tema: 84% deles temem que os filhos sejam vítimas de um adulto mal intencionado, 74% têm medo de que os filhos tenham contato com conteúdos impróprios e 40% afirmaram que seus filhos já demonstraram incômodo ou constrangimento em relação a conteúdos na web.
 
Apesar dos receios, 63% dos pais disseram que não impõem regras para o uso que os filhos fazem da internet.