Menu

PRINCIPAIS NOTÍCIAS SOBRE INTERNET E TECNOLOGIA

30/09/2008

Ações da Apple têm maior queda em sete anos

As ações da Apple despencavam mais de 16% nesta segunda-feira (29),na maior queda em sete anos. Os papéis da companhia são pressionados por preocupações com o gasto dos consumidores diante da desaceleração da economia norte-americana.
 
Duas corretoras cortaram seus preços-alvo para a ação da empresa, além de previsões de lucro e recomendação dos papéis da Apple, que produz os players de mídia digital iPod e o celular iPhone.
 
"Estamos preocupados com o fato de que as estimativas não tenham sido revisadas para baixo para refletir a redução global na demanda dos consumidores...", escreveu em nota a analista Kathryn Huberty, do Morgan Stanley.
 
A analista também reduziu sua previsão de lucro da empresa em 2009 para US$ 5,47 por ação, ante US$ 5,91 previstos anteriormente. Incluindo a queda de segunda-feira, a ação perdeu mais de um terço de seu valor ao longo do último mês.
 
Mike Abramsky, analista da RBC Capital, escreveu em uma nota a investidores afirmando que o percentual de consumidores que planeja comprar um computador pessoal nos próximos 90 dias, teve o seu maior declínio nos últimos dois anos e meio, de agosto a setembro.

27/09/2008

Sua loja online é uma cópia ou tem personalidade?

Lá em 1995 nasciam as primeiras lojas virtuais do Brasil e a Livraria Cultura foi pioneira (sou suspeita para falar deles, fã é pouco!). De lá para cá o avanço foi grande. As plataformas estão mais robustas, os webdesigners mais malucos e os clientes mais corajosos para gastar na rede. Detalhe: a mulherada já ganhou a parada. Gastar é com a gente mesmo!
 
Porém reparem numa coisa curiosa: a maioria das lojas são praticamente iguais. Mudam-se os menus de lugar, um banner ou outro, uma frescurinha aqui, outra ali, um chat online, um pop-up intrometido, mas no fundo são todas focadas em uma coisa só: “Comprem de mim, comprem de mim”, “Eu só quero vender”.
 
Logo de cara você tem contato com uma porção de produtos, promoções de todo tipo, cores e mais cores, o vermelho é o predileto e muitos dizem: “É porque chama a atenção”!
 
Afinal, “se o site da Americanas é todo assim e eles ganham um dinheirão, eu também posso ganhar”… Tsi tsi tsi. Doce ilusão. Enquanto a maioria das lojas continuarem a copiar o modelo dos outros, a Americanas e o Submarino continuarão a tomar conta de 70% do mercado online. Não critico o modelo deles, quem sou eu (meu faturamento ainda não permite),apenas reconheço que são originais. O modelo é deles e ponto. Eles gostam de ter uma loja assim, como descrevi logo acima.
 
Mas e vocês? A loja que estão planejando ou que já possuem e querem reformular, ela reflete o que vocês são ou é uma cópia dos modelos que todos já estão cansados de usar? Tá, uma cópia “customizada” ou “melhoradinha”… Algo como beijar a Roberta Close… é cópia, mas parece um mulherão, né? (Ou pelo menos já foi… rs)
 
Muita gente me pergunta o que fazer para brigar com os preços dos grandes varejistas online e eu digo: pare de brigar! Você é pequeno meu caro, vai apanhar até morrer! Gente pequena precisa apelar para a criatividade e principalmente para o encantamento… Faça pelo seu cliente tudo aquilo que o grandão promete e não faz. E isso ainda será pouco, pois entregar no prazo, atender bem e blá blá blá, é simplesmente básico.
 
Você precisa superar as expectativas dele. O cliente precisa digitar o seu domínio ou achar seu link no Google e ao entrar no seu “recinto” fazer assim ó: “Uau”!!!
 
E você pode pensar “Ah, mas isso é caro!, “Essas idéias são legais, mas custam muito” É nada! Segue agora uma listinha de idéias (de graça ou baratinhas) para vocês colocarem em prática ontem. São fruto da troca de idéias intensa entre amigos:
 
Tenha um blog
 
Essa dica já virou clichê… Mas é fato: conversem com seus clientes, permita que eles possam interagir com você e sua equipe. Há várias plataformas gratuitas como Blogspot e WordPress. Em minutos você está com um blog pronto para bater-papo com quem mais te interessa: seus clientes (vulgo pagadores das suas contas).
 
Tenha uma rede social
 
Sabia que você pode ter uma rede como o Orkut só sua? É muito chick! Basta cadastra-se no Ning e fazer como a AgênciaClick. É grátis também! Nesta página a agência fala de tudo o que importa sobre a empresa, fala sobre o que eles fazem e como fazem. Toda a equipe está cadastrada lá e todo mundo que gosta da Click ou é cliente, fornecedor, parceiro, fã, enfim, todo mundo pode se cadastrar e interagir. Lá um cliente troca figurinha com o outro e assim por diante.
 
Promova encontros pessoais
 
Isso mesmo, marque encontros pessoais com os grupos que fazem a sua empresa crescer. Isso demonstra o quanto você se importa com a opinião deles… Mas não pode ser de qualquer jeito. Defina temas do interesse das pessoas. Exemplo: você vende roupas infantis na rede e pode promover encontros de mães blogueiras para trocar dicas sobre a saúde dos pimpolhos. Mãe adooooora exibir e falar dos seus filhotes e de como elas são mamães perfeitas e zelosas.
 
Faça da sua loja um ponto de referência
 
Não fique limitado a oferecer apenas informações técnicas dos produtos. Eduque seu cliente. Desenvolva artigos ou vídeos que o ajudam a utilizar determinado produto ou serviço da forma mais didática possível, onde até uma criança de dois anos pode entender. Então, por exemplo, se você vende hospedagem, por que não explicar tim-tim por tim-tim tudo sobre hospedagem para o seu cliente? Por que não convencê-lo do quanto é importante escolher um bom serviço de hospedagem para a segurança do negócio?
 
Se você oferece este tipo de ajuda ao cliente, ele te retribui com recomendações do tipo “Aquela empresa manja de tudo sobre tal assunto” e você torna-se referência no assunto. E qual a conseqüência disso??? Vendas! Afinal, as pessoas agora confiam em você e o que você vende na internet, não é confiança?
 
Dê a sensação
 
Ao entrar em sua loja virtual, o cliente está entrando em sua casa. Você é pequeno. Você pode. Não faça pose de empresa grande, pega até mal. Crie uma linguagem gostosa com seu cliente, como quem fala com um amigo e queira de fato tornar-se amigo dele.
 
Lembre-se do aniversário dele porque você o conhece e não porque quer que ele compre mais. As pessoas percebem a diferença entre as duas coisas. Desista daquele papo chato como “mais de X anos no mercado; frutos de um serviço diferenciado e inovador investindo em equipamentos modernos, profissionais capacitados; preservando o meio ambiente, investindo em segurança”. Ou seja: mais do mesmo. Parta para outra. Traduza tudo isso para: “Os X anos de experiência que minha empresa possui podem servir para te ajudar a resolver tal problema…”
 
Levante a bandeira da independência
 
Repare bem nas perguntas que te fazem por e-mail ou pelo chat e assegure-se de que aquelas informações solicitadas estão no site. Provavelmente não estão e se estiverem, devem estar escondidinhas. A cada ocasião como esta, desenvolva uma forma daquele cliente, quando voltar, achar a informação que deseja, o mais rápido possível e assim, ele fica mais livre, menos dependente para comprar e você diminui seus custos operacionais.
 
Tenha um produto ou serviço inusitado
 
Foque numa necessidade do cliente que às vezes nem ele sabe que tem. Querem uma idéia legal? Acessem o eMeias. Eu bato palmas para a dupla que criou este conceito. Muuuuuuito bom!!! Eles oferecem até test-drive!!!
 
Tudo o que eu disse pode se resumir ao fato de que nos negócios não falamos de empresas com empresas ou de pessoas com empresas - tratamos de pessoas com pessoas.
 
Empresa é CNPJ. Quem assina contrato é gente. Gente gosta de ser bajulada, conquistada, afinal o que o ser humano mais quer é se sentir importante para alguém. E isso vai ficar cada vez mais forte com o aumento da mulherada comprando na rede (Homens, vocês estão perdidos, nem aqui os deixamos em paz… hehehe).
 
E contra a concorrência só há uma solução: seja original e acima de tudo um conquistador. Porém não um conquistador barato, mas sim o tipo de sujeito que liga no dia seguinte, que faz o pós-venda, entende? Que cuida do que tem.

26/09/2008

Conheça as funcionalidades do iPhone 3G, que estréia oficialmente no Brasil

As operadoras envolvidas no lançamento do iPhone 3G no Brasil, nesta sexta-feira (26),esperam uma explosão na demanda pelo aparelho da Apple -- a Claro, com lote inicial de 30 mil unidades, já prevê a falta do produto no país. Mas antes de encarar as possíveis filas de espera ou desembolsar até R$ 2,6 mil por um aparelho, é importante saber se as funcionalidades oferecidas por esse produto estão de acordo com as suas necessidades de usuário. Por isso, o G1 elaborou um guia explicando as principais ferramentas do iPhone 3G. 

 
Touch screen
 
Um dos principais chamarizes do aparelho da Apple é o fato de quase toda sua superfície ser uma tela sensível ao toque, com 3,5 polegadas. Na hora de fazer uma chamada, ela exibe as teclas do telefone. Se a idéia for ver as fotos da viagem, elas poderão ser mostradas na vertical ou horizontal (a escolha é feita pelo próprio usuário, dependendo da maneira como ele posiciona o aparelho). E todos os comandos -- desde a seleção de um aplicativo à navegação na internet, passando pela digitação de palavras e zoom das fotos -- são feitos com os dedos. Nada de teclas, nada de stylus (aquela 'canetinha' utilizada em palmtops). 
 
Internet
 
O iPhone tem o navegador Safari, da Apple, e tecnologia 3G, que oferece acesso mais rápido à internet (entenda aqui como funciona). O telefone permite que o usuário acesse a web sem complicações e, por isso, tornou-se o objeto de desejo de muitos que não conseguem se desconectar. Com ele, o internauta acessa sites, serviços de e-mail e redes sociais da mesma forma como faz via computadores. Com a diferença que, no lugar de um teclado, usa a tela sensível ao toque. 
 
iPod
 
Com capacidades de armazenamento de 8 GB e 16 GB, o iPhone também funciona como tocador de música digital iPod. Os comandos também são dados via tela sensível ao toque: movimente o indicador para de escolher o álbum ou música que quer ouvir. No caso de vídeos, é possível aumentar a imagem ou diminui-las dando dois toques sobre a tela. Para comprar esse tipo de conteúdo, é necessário usar a loja on-line da Apple, a iTunes, que não está disponível para os usuários brasileiros. 
 
GPS
 
O telefone localiza seu usuário em um mapa que aparece na tela do aparelho – para isso, ele combina as tecnologias de GPS e de localização pelas antenas das estações radiobase de telefonia celular. Nos Estados Unidos, o usuário já consegue encontrar lojas e restaurantes em áreas selecionadas, como aquela em que ele se encontra. 
 
Fotos
 
A câmera do aparelho, de 2 megapixels, faz apenas fotos e não tem zoom óptico. Se quiser gravar vídeos, é necessário baixar um aplicativo específico para essa função. Como uma pinça, polegar e indicador são as ferramentas de zoom para visualizar fotos na tela do iPhone: ao afastar ou aproximar esses dedos, o usuário consegue aumentar ou diminuir as imagens exibidas na tela. Elas podem ser mostradas na vertical ou horizontal, dependendo de como o usuário posiciona o aparelho, e também enviadas por e-mail. 
 
YouTube
 
Para facilitar o acesso ao site de vídeos do Google, o iPhone 3G já vem com um ícone específico para essa página em sua tela inicial. O aparelho também permite a navegação por categorias como “mais vistos”, “mais recentes” e “mais populares”, além de fazer buscas por conteúdo e enviar as sugestões desses arquivos para os contatos de e-mail.
 
Aplicativos
 
Para turbinar as funções do iPhone 3G, os usuários podem baixar aplicativos pagos e também gratuitos do site App Store, que estreou em julho com mais de 500 ferramentas. Para fazer aquisições, é necessário criar uma conta no programa iTunes, informar o país de origem e também fornecer informações de cartão de crédito.

25/09/2008

Operadoras mantêm mistério sobre lançamento do iPhone no Brasil

Na semana em que se aguarda o lançamento oficial do iPhone 3G no Brasil, as operadoras Claro e Vivo, as primeiras revendedoras do aparelho no país, ainda mantêm segredo sobre a estréia do celular. Não há informações sobre preço, planos ou como comprar: não foi divulgado se o produto será limitado àqueles que se cadastraram no site das empresas ou se também estará disponível nas lojas já na data de lançamento. 
  
A estréia da Vivo está prevista para esta sexta-feira (26),mas ainda não há informações se essa também será a data de lançamento da Claro. O site do iPhone para o Brasil diz que ele “já está disponível em todas as lojas Claro de seu país. Procure o local mais próximo”, mas não é isso o que acontece na prática. 
 
No início do mês, Roberto Lima, presidente da Vivo, disse que as vendas teriam início na última semana de setembro para todas as operadoras que tenham acordo com a Apple, já que a própria fabricante comanda o lançamento do iPhone em cada país. 
 
Reserva
 
Como estratégia para os interessados reservarem o aparelho multimídia, a Claro chegou a cobrar R$ 100 de pessoas inscritas em seu site (clientes ou não) “para simplificar e agilizar o processo de venda”, segundo a própria companhia. A ação causou polêmica e a operadora acabou desistindo da cobrança. A Vivo, por sua vez, disparou uma mala direta para restringir a venda à própria base de clientes da empresa. 
 
A venda do iPhone 3G no Brasil foi autorizada oficialmente pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no dia 12 de agosto. Outras operadoras já demonstraram interesse em trazer o aparelho para o país: a TIM, por exemplo, diz que está finalizando as negociações para comercializar o aparelho por aqui. 
 
Lançado em julho, a nova versão do telefone celular custa US$ 199 (8 GB) e US$ 299 (16 GB) nos EUA. Compatível com a rede de telefonia 3G, ele oferece acesso mais rápido à internet, suporte a sistema de localização GPS e pode ganhar diversas novas funções com os aplicativos disponíveis na loja App Store.